Início Natureza Porque treme Portugal? Os violentos choques que estão a rachar o país

Porque treme Portugal? Os violentos choques que estão a rachar o país

Dois continentes estão em rota de colisão e a esmagar o chão que pisamos. O país já viu por 4 vezes a fúria de um grande terramoto. É uma questão de tempo até que outro sismo trágico sacuda Portugal.

1349
0
PARTILHE
Porque treme Portugal? Os violentos choques que estão a rachar o país

Bem-vinda(o) ao “1001 Top Vídeos”! Os melhores vídeos de Portugal!

Porque treme Portugal? Os violentos choques que estão a rachar o país Vídeo de: Observador

O que é um sismo?

Os sismos ocorrem na crosta terrestre, a camada mais exterior do planeta que tem entre cinco a 70 quilómetros de espessura.

Sismo, terramoto ou tremor de terra — escolha o nome, mas o fenómeno é o mesmo —, é uma libertação súbita na energia acumulada na crosta terrestre, a camada mais exterior do planeta. Esta energia é libertada sob a forma de ondas sísmicas, provocando movimentos vibratórios no solo, que podem ser sentidos pelas pessoas e animais e repercutidos pelas estruturas criadas pelo homem.

Os sismos ocorrem na crosta terrestre, a camada mais exterior do planeta que tem entre cinco a 70 quilómetros de espessura. Créditos: Public Domain/Wikimedia Commons

Há três tipos de ondas sísmicas: as ondas P, ou primárias; as ondas S, ou secundárias; e as ondas superficiais. As ondas P funcionam como uma onda que atravessa uma mola e são as mais rápidas, conseguindo propagar-se tanto em meio sólido como em meio líquido. As ondas S funcionam como a corda de uma guitarra a vibrar, só se propagam em meios sólidos e são mais lentas que as ondas P. Por fim, as ondas superficiais são as que causam os estragos durante um terramoto porque viajam em pequenas profundidades. Por serem mais velozes, as ondas P são também as primeiras a serem detetadas pelos sismógrafos.

O sismógrafo é um aparelho que detecta os movimentos do solo, incluindo os movimentos provocados pelas ondas sísmicas, mas também as vibrações provocadas por uma explosão, por exemplo. Estas vibrações são registadas num sismograma. Quando ligados em rede, os sismógrafos permitem determinar o hipocentro — local exato de origem do sismo no interior da Terra —, o epicentro — ponto, na superfície terrestre, mais próximo do hipocentro — e a energia libertada pelo sismo.
_

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here