Início Curiosidades D. Pedro IV, um gesto único na história de Portugal

D. Pedro IV, um gesto único na história de Portugal

D. Pedro IV ofereceu o coração ao Porto porque durante o Cerco do Porto houve entre ele e a população uma cumplicidade enorme. Hoje, são precisas seis pessoas para chegar até ao coração, numa operação que implica sempre riscos para a relíquia.

6071
1
D. Pedro IV, um gesto único na história de Portugal
D. Pedro IV, um gesto único na história de Portugal

D. Pedro IV, um gesto único na história de Portugal Vídeo de: Irmandade da Lapa

Bem-vinda(o) ao “1001 Top Vídeos”! Os melhores vídeos de Portugal!

D. Pedro IV, um gesto único na história de Portugal

O imenso amor que o levou a doar o seu coração à cidade do Porto.

D. Pedro IV ficou na memória dos portuenses como símbolo de liberdade, patriotismo e força de vontade que, desde sempre, moveu a Cidade e os seus habitantes. A participação e o grande envolvimento da Invicta nas lutas liberais (1832-1833), sensibilizou particularmente o monarca.

Entre o Verão de 1832 -1833, a cidade sofreu enormes privações. Um ano de destruição física e moral que terá sido reconhecido, pelo Rei Soldado.

A grande empatia e gratidão que sentia pelo Porto, leva-o, logo após a vitória liberal, a honrar a cidade com a sua visita. O período de permanência na urbe (26 de Julho a 6 de Agosto) foi preenchido por diversas cerimónias civis, religiosas e militares. Destaca-se a entrega das chaves da Cidade, pelo presidente da Câmara, à Rainha. A cerimónia terminava com uma oração de graças e um “Te Deum”, na Igreja da Lapa.

É também nesta Igreja que, em 1835, por vontade testamental, o seu coração foi depositado.  Em 14 de Janeiro de 1837, um decreto redigido por Almeida Garrett e assinado pela rainha D. Maria II, adicionava novos elementos às Armas do Porto.

Este acontecimento determinava que “as armas sejam esquarteladas com as do reino e tenham ao centro, num escudete de púrpura o coração de oiro de D.Pedro, sobrepojadas por uma coroa de duque, tendo por timbre o “Dragão negro das antigas Armas dos senhores Reis destes reinos”, e junte aos seus títulos o de Invicta.”

Foi este o último sinal de reconhecimento do monarca pelo esforço dos portuenses, ao serviço do país.
_

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.