Início Música Catarina Miranda: Para Sorrir Eu Não Preciso De Nada

Catarina Miranda: Para Sorrir Eu Não Preciso De Nada

"Eu vim pela música, estou aqui por amor" confessou Catarina Miranda que não ganhou o Festival da Canção mas que não se sente derrotada. Vale a pena ver.

947
0
Catarina Miranda: Para Sorrir Eu Não Preciso De Nada
Catarina Miranda: Para Sorrir Eu Não Preciso De Nada

Bem-vinda(o) ao “1001 Top Vídeos”! Os melhores vídeos de Portugal!

Catarina Miranda: Para Sorrir Eu Não Preciso De Nada Vídeo de: Festival da Canção

Catarina Miranda

Foi a melhor para o júri e a segunda melhor para o público

O bruaá que se ouviu na plateia do Pavilhão Multiusos de Guimarães este domingo quando Catarina Miranda cantou “Para Sorrir Eu Não Preciso de Nada” já fazia antever uma boa votação do júri da final do Festival da Canção 2018.

A intérprete do tema composto por Júlio Resende acabou mesmo por ser a mais votada pelos jurados e, somando esses votos aos do público, acabou com os mesmos pontos de Cláudia Pascoal. A preferência do público, que em caso de igualdade é soberano, deu a vitória à intérprete de “O Jardim” mas Catarina Miranda não se sente derrotada:

“Para mim, com tudo aquilo que eu experienciei aqui, já tinha ganho [quando a decisão do público, no último segundo, a colocou em segundo lugar]. Ter passado na primeira semifinal já foi uma surpresa, nem sequer estava a contar passar. Não estava à espera de ficar em segundo lugar”, afirmou Catarina Miranda depois da final deste domingo do Festival da Canção. “

Eu não vim para ganhar, eu vim pela música, pelas pessoas, pelo convite do Júlio Resende… estou aqui por amor, não há nada que me faça ficar triste. É tudo tão bonito, conheci pessoas tão bonitas, que não há derrota possível neste momento”, afirmou a concorrente, que tinha ficado em terceiro lugar na sua semifinal, atrás de Peu Madureira e Janeiro, que ultrapassou nesta final.

A cantora transmontana, que na música tem vários trabalhados editados com o seu alter-ego emmy Curl (pode ouvi-los aqui), conta que recebeu o convite para interpretar o tema quando estava “ao pé do mar, na praia, na Aguda [em Vila Nova de Gaia, Porto]. Recebi uma mensagem do Júlio Resende no Facebook de Emmy Curl a dizer que queria falar comigo. Lembro-me de parar e pensar: wow, o Júlio Resende… Fui ter com ele a Lisboa, falámos e ele convidou-me. Ele mostrou-me pela primeira vez a canção quando ainda só tinha a voz da letrista [Camila Ferraro], sem a música [que posteriormente Júlio Resende compôs]. Eu aceitei, disse que sim, claro. Gosto tanto do trabalho dele que confiei”.

A cantora antecipou ainda o que poderão ser os próximos passos do seu percurso musical: “emmy Curl para já é aquilo em que estou a focar-me porque vou lançar um álbum este ano. Catarina Miranda é uma coisa que ainda não está desenvolvida. Isto fui eu a dar o meu nome para interpretar esta canção. Foi um desafio novo, em que quis fugir um bocado do que normalmente já fazia. Eu gosto muito daquilo que é desafiante, que não é o garantido. É daí que eu aprendo muito. Tudo o que é chão amovível eu gosto, porque caio e volto a cair e aprendo e saio mais forte”.
_

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.